quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

FELIZ DIA DO PROFESSOR!!

Ser professor é professar a fé e a certeza de
que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou...

Ser professor é consumir horas e horas pensando
em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
todos os dias, a cada dia é única e original...

Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e,
diante da reação da turma, transformar o cansaço
numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...

Ser professor é importar-se com o outro numa
dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que
necessita de atenção, amor e cuidado.

Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena,
sem sair do espetáculo".

Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que
o aluno caminhe com seus próprios pés...

Autor: (Desconhecido)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ESPAÇO PARA ATIVIDADE DO 2º ANO C!

Queridos espaço liberado para postarem suas atividades, lembrando que devem corrigir antes.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

OBRAS VESTIBULAR UEMA...

Prova de Filosofia:

  • Que é esclarecimento? KANT Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes e Outros Escritores, Editora Martin Claret, São Paulo-SP, 2005.

Prova de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira:

  • A morte e a morte de Quincas Berro D'água - Jorge Amado
  • O Sermão do Bom Ladrão -Antonio Vieira
  • Inspiração Nordestina (segunda parte) Antonio Gonçalves da Silva - vulgo - Patativa do Assaré.
Boa leitura...

DADAÍSMO DO ALEX

FUTURISMO DO JACKSON

EXPRESSIONISMO DO FLÁVIO

SURREALISMO DA LAÍS

Adjetivo qualificando dois ou mais substantivos

Os adjetivos e as palavras adjetivadas concordam em gênero e número com os elementos a que se referem. Por exemplo: gatas malhadas e cachorros brancos, em que os adjetivos malhado e branco ficaram, respectivamente, no feminino, plural, e no masculino, plural, por modificarem, respectivamente, gatas, substantivo feminino, plural, e cachorros, substantivo masculino, plural.

Quando o adjetivo modificar mais de um substantivo, há regras especiais, que veremos agora:


01) Adjetivo posposto a dois ou mais substantivos:


A) Adjunto adnominal:

Quando o adjetivo posposto a dois ou mais substantivos funcionar como adjunto adnominal e qualificar todos os substantivos apresentados, poderá concordar com o elemento mais próximo ou com a soma deles. Por exemplo:

O Estado compra carros e maçãs argentinas.
O Estado compra carros e maçãs argentinos.


Uma regra prática para descobrir se o adjetivo funciona como adjunto adnominal é a seguinte: Substitua os substantivos por um pronome (eles, elas, os, as...); se o adjetivo desaparecer, funcionará como adjunto adnominal. Por exemplo, a frase apresentada: substituindo-se carros e maçãs pelo pronome os, ocorrerá a seguinte frase: O Estado compra-os, e não O Estado compra-os argentinos. O adjetivo argentino é, portanto, adjunto adnominal.

Há três casos em que o adjunto adnominal concordará apenas com o elemento mais próximo:
01) Se qualificar apenas o elemento mais próximo:

Comprei óculos e frutas frescas.

02) Se os substantivos forem sinônimos:

Desrespeitaram o povo e a gente brasileira.

03) Se os substantivos formarem gradação:

Foi um olhar, uma piscadela, um gesto estranho.


B) Predicativo do sujeito:

Quando o adjetivo imediatamente posposto a dois ou mais substantivos funcionar como predicativo do sujeito, deverá concordar com a soma dos elementos, apesar de existirem gramáticos que admitam a concordância também com o elemento mais próximo. Por exemplo:

O operário e a esposa, preocupados, saíram para o trabalho.
Tua imagem e olhar, penetrantes como um gume.



C) Predicativo do objeto:

Quando o adjetivo imediatamente posposto a dois ou mais substantivos funcionar como predicativo do objeto, deverá concordar com a soma dos elementos, apesar de existirem gramáticos que admitam a concordância também com o elemento mais próximo. Por exemplo:

Encontrei o operário e a esposa preocupados com a situação da empresa.

Uma regra prática para descobrir se o adjetivo funciona como predicativo (do sujeito ou do objeto) é a seguinte: Substitua os substantivos por um pronome (eles, elas, os, as...); se o adjetivo não desaparecer, funcionará como predicativo. Por exemplo, a frase Considero o pai e o filho responsáveis pelo acidente. Substituindo-se o pai e o filho pelo pronome os, ocorrerá a seguinte frase: Considero-os responsáveis pelo acidente, e não Considero-os. Esta frase tem significado diferente daquela. O adjetivo responsáveis é, portanto, predicativo do objeto.


02) Adjetivo anteposto a dois ou mais substantivos:


A) Adjunto adnominal:
Quando o adjetivo anteposto a dois ou mais substantivos funcionar como adjunto adnominal e qualificar todos os substantivos apresentados, deverá concordar apenas com o elemento mais próximo. Por exemplo:

Trouxe belas rosas e cravos.
Teu extravagante porte e andar.



B) Predicativo do sujeito:

Quando o adjetivo imediatamente anteposto a dois ou mais substantivos funcionar como predicativo do sujeito, deverá concordar com a soma dos elementos, apesar de existirem gramáticos que admitam a concordância também com o elemento mais próximo. Por exemplo

Preocupados, o operário e a esposa saíram para o trabalho.


C) Predicativo do objeto:

Quando o adjetivo imediatamente anteposto a dois ou mais substantivos funcionar como predicativo do objeto, deverá concordar com a soma dos elementos, apesar de existirem gramáticos que admitam a concordância também com o elemento mais próximo. Por exemplo

Encontrei preocupados com a situação da empresa o operário e a esposa.


Há situações em que se pode fazer uma ou outra concordância. Observe as seguintes frases:
Vi o mercado, a praça e as ruas apinhados de gente
Vi o mercado, a praça e as ruas apinhadas de gente

Qual a diferença entre elas?

Na primeira frase, o adjetivo apinhado concorda com a soma dos elementos, o que significa que o mercado estava apinhado de gente, a praça estava apinhada de gente e as ruas também estavam apinhadas de gente.
Já na segunda frase, o adjetivo apinhado concorda apenas com o elemento mais próximo, o que significa que o mercado e a praça não estavam apinhados de gente; somente as ruas o estavam.


Dúvidas? Mande-me um e-mail.

terça-feira, 27 de julho de 2010

As moças chegaram rápido à festa!

Adjetivo é a classe de palavras que modificam substantivos ou palavras substantivadas, como pronomes, atribuindo-lhes estado, qualidade ou modo de ser. Quando, por exemplo, se diz que o guepardo é o mamífero mais veloz do planeta, usa-se o adjetivo veloz para qualificar o substantivo mamífero, atribuindo-lhe uma qualidade. Caso se pluralize o substantivo, pluralizar-se-á o adjetivo também, pois este concorda em gênero e número com aquele, ou seja, se o substantivo for masculino ou feminino, singular ou plural, o adjetivo também o será. Se, por exemplo, a frase apresentada tiver o substantivo no plural, o adjetivo também estará no plural: os guepardos são os mamíferos mais velozes do planeta.
Há, porém, algumas situações em que o adjetivo ficará invariável. Vejamo-las:

1- Adjetivo adverbializado: É o adjetivo que, na situação apresentada, funciona como advérbio, ou seja, palavra que modifica verbo, adjetivo ou outro advérbio.
A frase mais conhecida de adjetivo adverbializado, no Brasil, é a da propaganda da cerveja Skol: A cerveja que desce redondo. Nessa frase, o adjetivo redondo não modifica o substantivo cerveja, mas sim o verbo descer. Não é a cerveja que é redonda, e sim o modo como ela desce: redondamente.

Na frase apresentada no início deste texto, há um adjetivo adverbializado: rápido, pois não são as moças rápidas, mas sim o modo como chegaram à festa: rapidamente. Veja outros exemplos:

- As aves voavam baixo.
- Meninas, falem mais alto.


2- Substantivo adjetivado: É o substantivo que, na situação apresentada, funciona como adjetivo, ou seja, palavra que modifica outro substantivo. Ocorre comumente com nomes de cores: prata, pérola, musgo, rosa, cinza, salmão, pastel, chumbo, etc. Veja alguns exemplos:

- As mulheres gostam de roupas com tons pastel.
- Os ternos palha saíram de moda. Agora, usam-se mais os cinza e os pretos.

3- Adjetivo composto com substantivo adjetivado: Adjetivo composto é a formação com dois ou mais adjetivos, comumente unidos por hífen, que modifica um substantivo. Por exemplo, há problema econômico e há também problema financeiro; e há problema tanto econômico quanto financeiro. Há, portanto, problema econômico-financeiro.
Em se tratando de concordância, apenas o último elemento concordará com o substantivo; os demais ficarão na forma masculina, singular. Por exemplo, pluralizando-se problemas, haverá problemas econômico-financeiros. Substituindo-se problemas por situações: Situações econômico-financeiras.
Num caso, porém, o adjetivo composto ficará invariável: quando o segundo elemento for um substantivo adjetivado, ou seja, quando o segundo elemento for representado por uma palavra que originalmente seja substantivo. Por exemplo: verde-bandeira, verde-abacate, verde-água, verde-mar, verde-esmeralda, amarelo-canário, amarelo-enxofre, etc. Veja alguns exemplos:

- Ela tem olhos verde-mar.
- Comprei duas almofadas amarelo-canário.

4- Alguns adjetivos compostos são invariáveis:

Azul-marinho
Azul-celeste
Ultravioleta
Cor-de-rosa


Por outro lado, há dois adjetivos compostos cujos elementos variam todos:

Surdo-mudo, surda-muda, surdos-mudos, surdas-mudas
Pele-vermelha, peles-vermelhas

http://dilsoncatarino.blogspot.com

quinta-feira, 10 de junho de 2010

AME A LÍNGUA PORTUGUESA E SEJA ABRAÇADO POR ELA!

Não existe parte da vida
que não contenha lições.
Se você está vivo,
há lições para aprender."

sábado, 22 de maio de 2010

LEMBRETE PARA TODAS AS TURMAS..

SE SEU TEXTO NÃO FOI PUBLICADO, REVISE, ERROS ORTOGRÁFICOS FORAM ENCONTRADOS.

ATIVIDADE 3º ANO D!

Meus queridos tenham cuidado com a ortografia, não é porque estamos no mundo virtual que vamos publicar nossos "erros". Sei que são capazes de fazer corretamente.
Um abraço.
Profª Magnólia

quarta-feira, 19 de maio de 2010

ATIVIDADE PARA O 2ª ANO C

Meus queridos, agora sim, já está disponível para postarem suas tarefas.. depois discutimos em sala de aula. Bom trabalho.

TAREFA DO 3º ANO A

Pronto meus amados, agora sim podemos compartilhar nossos textos, depois faremos o comentário em sala de aula.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Porquê, por quê, por que e porque.

Há quatro maneiras de se escrever o porquê: porquê, por quê, por que e porque.

Vejamo-las: Obs.: Siga sempre a seqüência apresentada, ou seja, primeiramente observe a possibilidade de ser o "porquê" n° 1. Só se não for o n° 1, observe a possibilidade de ser o n° 2 e assim sucessivamente.

01) Porquê:É um substantivo, por isso somente poderá ser utilizado, quando for precedido de artigo (o, os, um, uns), pronome (meu(s), este(s), esse(s), aquele(s), quantos(s)...) ou numeral (um, dois, três, quatro).

Por exemplo:Ninguém entende o porquê de tanta confusão. Este porquê é um substantivo. Quantos porquês existem na Língua Portuguesa? Existem quatro porquês.

02) Por quê:Sempre que a palavra quê estiver em final de frase, deverá receber acento.

Por exemplo:Ela não me ligou e nem disse por quê. Você está rindo de quê? Você veio aqui para quê? Obs.: Se, porém, a frase for Ela não me ligou e nem disse o porquê passa a ser o junto com acento já que há o artigo, transformando o porquê em substantivo.

03) Por que:Usa-se por que, quando houver a junção da preposição por com o pronome interrogativo que ou com o pronome relativo que. Para facilitar, dizemos que se pode substituí-lo por por qual razão, pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais, por qual.

Por exemplo:Por que não me disse a verdade? = por qual razão não me disse a verdadeGostaria de saber por que não me disse a verdade. = por qual razão não me disse a verdadeAs causas por que discuti com ele são particulares. = As causas pelas quais discutiEster é a mulher por que vivo. = a mulher pela qual vivo.

04) Porque: É uma conjunção subordinativa causal, conjunção subordinativa final ou conjunção coordenativa explicativa, portanto liga duas orações, indicando causa, explicação ou finalidade. Para facilitar, dizemos que se pode substituí-lo por já que, uma vez que, visto que, por + infinitivo (quando indicar causa), pois (quando indicar explicação) ou a fim de que, para + infinitivo (quando indicar finalidade).

Por exemplo:Não saí de casa, porque estava doente. = já que estava doente, uma vez que estivesse doente, visto que estava doente, por estar doente. Tome cuidado, porque o piso está escorregadio. = pois o piso está escorregadio. Estudem, porque aprendam. = a fim de que aprendam, para aprenderem.

Porque: conjunção explicativa, causal, final...

O vocábulo porque é uma conjunção que possui três valores:
- Conjunção coordenativa explicativa: liga duas orações na segunda das quais se esclarece a idéia contida na primeira. São elas: pois, que, porque, etc.

Fique alegre, meu amor, porque você tem saúde = Fique alegre, meu amor, pois você tem saúde = Fique alegre, meu amor, que você tem saúde.

- Conjunção subordinativa causal: inicia uma oração subordinada denotadora de causa. São elas: porque, porquanto, já que, visto que, se, como (só no início de frase), uma vez que.

Foi de táxi para a festa porque estava atrasado = Foi de táxi para a festa já que estava atrasado = Como estava atrasado, foi de táxi para a festa.

- Conjunção subordinativa final: inicia uma oração que indica a finalidade da oração principal. São elas: porque, a fim de que, para que.

Agiu daquela maneira porque o inimigo o visse e se assustasse com sua fúria = Agiu daquela maneira a fim de que o inimigo o visse e se assustasse com sua fúria = Agiu daquela maneira para que o inimigo o visse e se assustasse com sua fúria.

A palavra “Que” com acento.

A palavra quê receberá acento em apenas algumas circunstâncias. Ei-las:

1- Substantivo:É sempre acentuada e antecedida do artigo indefinido um: um quê, e o sentido dessa junção (um quê) é algo, alguma coisa.- Ela tem um quê de mistério. (ela tem algo de mistério).

2- Interjeição:É sempre acentuada. Indica espanto, surpresa.- Quê? Meu Deus! Que farei agora?

3- Pronome interrogativo em final de frase:É sempre acentuada e acompanhada de o.- Você falou o quê?

http://dilsoncatarino.blogspot.com

domingo, 21 de fevereiro de 2010

FELICIDADES!!

QUERO AQUI DESEJAR A TODOS OS ALUNOS DO 3º ANO D, MUITO SUCESSO E QUE CADA UM OLHE PARA O FUTURO BRILHANTE QUE OS ESPERA....